A filosofia na saúde. Uma lição para o equilíbrio humano

11/05/2022

A filosofia como proposta para o refino de valores humanos e o alcance do equilíbrio. A consciência humana como fator preponderante na distinção do bem e do mal.

Essa foi a mensagem deixada pelo conferencista médico, diretor clínico e professor da área de medicina integrativa do Instituto Seráphis, Luiz Fernando Vieira. Professor da Organização Internacional Nova Acrópole, em Brasília, o médico deu uma palestra aos funcionários do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) e citou o médico  Hipócrates, o pai da medicina e grandes pensadores, filósofos gregos e orientais para  justificar o que afirmou categoricamente: a saúde depende do equilíbrio entre o Soma, o corpo (a energia vital). A Psique, a alma, a razão, o sentimento, a opinião e a emoção. E o Nous (o espírito), os arquétipos, as ideias e as leis naturais. “A harmonia se dá de cima para baixo”, resumiu o professor. “Através de ideias elevadas, praticar o bem, Deus, vida, isso é o que permite a unidade do corpo. A Justiça, valores éticos-morais e estéticos, bondade, beleza (artes), acreditar no bem. Quando há uma desarmonia nos valores, ocorre a falta do equilíbrio”, alertou o professor.

Quando provocado por perguntas da plateia, sobre a cultura contemporânea do imediatismo e do materialismo, Luiz Fernando Vieira respondeu: “ o grande mal hoje, na humanidade, é o racionalismo ateu, deixar de buscar o Divino e o Sagrado é negar a condição humana. O que nos distingue dos animais é a nossa capacidade de contemplar o sol, o nascer ou o pôr do sol; um luar. Olhar o céu, as estrelas, como num sentimento de nostalgia que parece que viemos daí e vamos retornar, viemos do divino e voltaremos para lá”, apontou como valores edificantes do equilíbrio emocional.

O médico e estudioso da filosofia, Luiz Fernando, deixou como reflexão à plateia do HCB. A sociedade atual diz mais “sim” do que que “não”. E isso nos leva a uma vida de muita subjetividade”. Recomendou que nos perguntemos; “o que você gosta, faz o bem para você? É justo para seu corpo, é justo para a psique? Se a resposta é “não”, então não devemos seguir adiante.  E alertou: “A fantasia pode conduzir à depressão, isolamento, solidão e um ponto final na vida”.

Os números das estatísticas comprovam o que a reflexão filosófica afirma. Segundo estatísticas já anunciadas pela, Organização Mundial de Saúde (OMS), entre as décadas de 2020-2030,  a depressão será a doença com maior prevalência no mundo. Já afeta 7% da população mundial e acomete, 11 milhões de pessoas segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Ministério da Saúde. 

 

Texto e foto: Cláudia Miani