Visitas especiais para incrementar a brincadeira

29/05/2019

Ao longo de toda a terça-feira (28/05/19), o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) sediou seu primeiro Encontro do Brincar. Enquanto estudantes e profissionais da área da saúde participavam da programação científica, as crianças se divertiram com oficinas, brincadeiras e apresentações.

No hall central do HCB, as crianças podiam brincar com bambolês e futebol de mesa, trazidos pelo Curumim Cultural – grupo de Samambaia que resgata a tradição de brinquedos populares. As irmãs Anna Clara (acima, à esquerda), oito anos, e Anna Júlia (acima, à direita) Monteiro, dez anos, se divertiram com um boneco malabarista. “O tio estava fazendo o bonequinho pular e a gente quis entender como funcionava”, contou Anna Júlia.

O grupo Pé com Pé, que alia contação de histórias infantis e musicalização, visitou as crianças que estavam internadas e seus responsáveis. David Pessoa (foto abaixo), sete anos, disse ter adorado a performance do grupo. “A parte que eu mais gostei foram as histórias, principalmente a do vento”, afirmou David.

Esta foi a terceira vez que o Pé com Pé participou de atividades no Hospital – acostumado a se apresentar em festas infantis, o grupo passou a buscar oportunidades de trabalho voluntário. “Queremos trabalhar mais esse lado de ações sociais; a gente quer ser instrumento, canal de alegria, aquecer um pouco mais os corações”, explicou Adriana Vaz, idealizadora, produtora e contadora de histórias do grupo.

Outro projeto que participou da comemoração pelo Dia do Brincar foi o Laços da Alegria. Criado em 2011 e presente em nove hospitais da rede de saúde do Distrito Federal, ele conta com mais de mil voluntários capacitados para lidar com pessoas em condição hospitalar. Na terça-feira, 26 integrantes do projeto vieram ao HCB para se apresentar como palhaços, cantar e brincar com as crianças.

Segundo os participantes, o público do Hospital da Criança é bastante receptivo à interação com o Laços da Alegria. “Isso se dá por conta do próprio Hospital. As crianças já convivem com atrações toda semana, para eles já fica mais fácil, é uma recepção mais tranquila”, explicou Jader Regis, um dos diretores de hospitais do grupo.

 

Texto: Allan Michael
Fotos: Allan Michael e Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke