Um cuidado especial

06/03/2015

O dia oito de março é lembrado como Dia Internacional da Mulher. A data foi instituída pelas Nações Unidas em 1977, depois de várias manifestações em busca da igualdade política e econômica entre homens e mulheres. No Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), é sempre possível encontrar as homenageadas: crianças e adolescentes, mães e responsáveis, funcionárias... As acompanhantes dos pacientes falam sobre ser mulher e o que desejam para as meninas do hospital.

Célia Martins (foto acima) vem periodicamente ao HCB trazer a filha Victória Valentina para consultas. Em sua opinião, “ser mulher é correr atrás dos seus objetivos, independente do que serve para homem ou para mulher”. Atenta à filha, que tem um ano de idade, ela garante estar sempre em busca de seu objetivo: o bem estar de Victória. “Eu, particularmente, não vejo tempo ruim para nada. Corro atrás mesmo, ainda mais se for pela saúde da minha filha”, afirma.

Acompanhando o sobrinho Enzo Gustavo, onze meses, Maracy da Silva (foto acima) acha importante educar as crianças para que elas saibam respeitar todas as pessoas. Mãe de Fellipe, cinco anos e também paciente do HCB, ela conta: “Eu sempre falo que tem que ter respeito; não só com mulher, com todo mundo”. Como o menino tem muitas tias e primas, “ele tem um convívio muito grande com mulheres. Ele até sabe quando é o Dia das Mulheres – nesse dia, ele sempre gosta de dar flores”, explica Maracy.

Acostumada a trazer a filha Ketlin, de três anos, para sessões de fisioterapia no HCB, Suzana da Fonseca (foto acima) afirma que “ser mulher é bem interessante, é a dedicação, saber como lidar com cada situação... é ser versátil”. Mãe de duas crianças, ela acredita que a maternidade fala muito sobre as mulheres: “ser mãe automaticamente traz a maturidade de mulher e a independência que vem junto”.

Ana Cristina de Sousa (foto acima), mãe da paciente Sophia de Sousa, um ano, concorda com a importância de ser mãe, e acha que “a melhor coisa que uma mulher pode ter são filhos”. Ela considera importante ter um dia dedicado à comemoração feminina às pessoas do seu sexo. “Nós merecemos, trabalhamos tanto, lutamos tanto! Sou uma lutadora.”, conta. Ana Cristina não exclui, porém, o mérito masculino, e acredita que os homens também poderiam ter uma data que os celebrassem: “É a igualdade, não é? Tem homem que merece”.

Quando olham as pacientes do Hospital da Criança de Brasília, as mulheres sonham com o futuro das meninas que frequentam o HCB. Luiza Padre (foto acima), mãe de Sara Gabrielly Padre, um ano, espera que o mundo tenha “menos preconceito. Porque, hoje em dia, está tendo muito preconceito”. Ela afirma que, principalmente na hora de encontrar um emprego, as oportunidades são menores para as mulheres.

Maracy da Silva deseja que as meninas tenham “um futuro bom, que elas tenham respeito e que sejam guerreiras”. Já os sonhos de Suzana da Fonseca são mais concentrados na filha Ketlin: “Em primeiro lugar, independência. Quero principalmente a independência dela”.

O HCB comemora o dia da mulher dos dias 09 a 13 de março, com a série Nossas Divas. Ao longo da semana, apresentações musicais e um desfile vão animar a hora do almoço e homenagear mulheres e meninas que frequentam o hospital.

Confira a programação

 

Texto e Fotos: Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke