Qualidade do Hospital da Criança é meta para a rede pública, diz Agnelo

23/11/2012

Em um ano, Hospital da Criança realizou mais de 257 mil atendimentos. Para alcançar patamar, governador diz que é preciso 'recuperar rede'.

Matéria publicada pelo portal G1 Distrito Federal

Por Rafaela Céo

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, afirmou nesta sexta-feira (23), durante comemoração do primeiro ano do Hospital da Criança, que a qualidade do atendimento na unidade está acima do restante da rede pública de saúde do DF.

“Meu sonho é que toda rede pública tenha essa qualidade. Esse é o grande objetivo. Serviço público é isto. Se tivéssemos outros dez parceiros como a Abrace [Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias], faríamos isso em toda a rede”, disse.

O Hospital da Criança José Alencar é mantido com recursos do GDF e gerido pelo Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe). Em parceria com a Secretaria de Saúde do DF, faz atendimento especializado em pediatria. A Abrace foi a entidade que iniciou a construção do hospital.

Além de tratamento de câncer, a unidade atende o público infantil em outras patologias graves. Em um ano, realizou mais de 257 mil atendimentos de pacientes, todos encaminhados pelos postos de saúde e hospitais da rede pública. Além da estrutura de 30 consultórios médicos e 22 leitos de internação, é reconhecido pelo trabalho humanizado.

Agnelo disse que o governo tem feito investimentos para melhorar o atendimeno na rede pública.

“Temos que recuperar a rede para ter uma estrutura como essa. Estamos equipando, contratando mais gente, melhorando a gestão, informatizando. É um processo. A rede estava muito depreciada. É evidente que não conseguiremos recuperar da noite para o dia.”

Tratamento de câncer

Lei sancionada pela presidente Dilma Roussef e publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (23) estabelece como limite o prazo de 60 dias para início do tratamento de câncer na rede pública após o diagnóstico.

Auditoria do Tribunal de Contas da União com base em dados oficiais da rede pública de atendimento e entrevistas com mais de 200 médicos e associações de apoio aos pacientes indicam que a espera por radioterapia atualmente é, em média, de quatro meses. No caso de uma cirurgia, o tempo médio de espera cai para três meses e, para quimioterapia, dois meses e meio.

No DF, o secretário-adjunto de Saúde, Elias Miziara, que a meta de 30 dias para início do tratamento é perseguida desde o ano passado. “A média para início do tratamento é de 30 dias; para o diagnóstico, 15.”

Segundo Miziara, reclamações de pacientes que têm o tratamento interrompido por falta de equipamento e medicamento ocorrem por causa de desabastecimentos ocasionais. Ele também disse que o tratamento de câncer cabeça e pescoço e na área de urologia, por demandarem procedimento cirúrgico, demoram mais do que a média informada.

Miziara afirma que atualmente o Hospital de Base e o de Taguatinga, além do Hospital da Criança, realizam o tratamento de câncer na rede pública. No Hospital de Base é feito o tratamento de radioterapia e quimioterapia. No Hospital de Taguatinga, há quimioterapia. O governo espera implantar a radioterapia na unidade de Taguatinga em 2013.