Papai Noel no HCB

23/12/2015

Na tarde de segunda-feira (14/12/15), o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) recebeu um visitante ilustre: o Papai Noel. Ele deu início à Semana de Natal do HCB.

Assim que escutaram o som do sino que o Papai Noel carregava, as crianças correram para fazer seus pedidos de presentes. “Eu não sabia que o Papai Noel vinha hoje, foi uma surpresa. Pedi um tablet para ele”, conta Stefanny Ferreira (foto acima), nove anos.

Andressa Ribeiro (foto acima), seis anos, já havia visto o Papai Noel. No HCB, ela levou o irmão Gustavo, um ano, para conhecê-lo. “Falei para o Papai Noel que já fui ver ele esse ano e que pedi uma boneca da Frozen, da Elsa”, explica a menina.

Yasmin Sá (foto acima), seis anos, aproveitou a visita para fazer seu pedido de Natal – e não é um brinquedo. “Eu queria um piano”, disse Yasmin, que gosta quando o pianista do HCB se apresenta no Hall: “Eu gosto de dançar. Quero aprender a tocar, também”.

O pai de Yasmin, Jefferson Sá, considera a visita do Bom Velhinho ao HCB algo positivo. “Com certeza trazer o Papai Noel aqui é bom para as crianças. Acho que elas nem imaginam mais que é o hospital, dá um outro ar”, explicou.

Os irmãos Lourrane e Luan Barbosa (foto acima), dez e oito anos respectivamente, ficaram com uma dúvida: eles pediram um patinete e um helicóptero de controle remoto, mas não sabem como os presentes vão chegar. “Minha casa não tem chaminé nem árvore”, disse Lourrane, que quer descobrir como o Papai Noel vai entrar em sua casa na noite de Natal.

O Papai Noel voltou ao HCB em mais três dias (17, 21 e 23/12/15) da Semana de Natal e tentou responder à dúvida de Lourrane. “O sino que eu estou tocando é por causa das renas, para elas saberem onde é que eu estou. Elas ficam lá em cima, nas nuvens, e eu desço pelo teto. Quando eu balanço o sino assim, bem rápido, elas sabem em que lugar eu estou”, explicou Papai Noel.

Como algumas crianças tinham muitas dúvidas sobre o trabalho do Papai Noel, ele respondeu algumas perguntas:

HCB: Como é viver no Polo Norte e agora vir para Brasília, que é quente?

Papai Noel: Viver no Polo Norte é sonhar, o ano inteiro, em vir para Brasília. Eu gosto desse calor.

HCB: Como o senhor consegue visitar todas as crianças do mundo inteiro numa noite só?

Papai Noel: Eu vou contar um segredo: existe um Papai Noel só, mas como é difícil ir à casa de todas as crianças, eu tenho alguns irmãos espalhados pelo mundo. São estes irmãos que vão às casas das crianças durante o ano. Deste jeito, Papai Noel consegue enviar os presentes para as crianças do mundo todo.

HCB: Como o senhor entra nas casas que não tem chaminé?

Papai Noel: Eu toco o interfone. Quando estou com as renas, desço pelo teto e elas ficam nas nuvens me esperando.

HCB: Quando não é Natal, o que o papai Noel fica fazendo lá no Polo Norte?

Papai Noel: Durante o resto do ano, fico descansando e fazendo brinquedos, me divertindo.

HCB: Quais são os brinquedos que as crianças mais pedem ultimamente?

Papai Noel: Tablet, por incrível que pareça é isto. Todo mundo quer um tablet. Menino, depois do tablet, pede carrinho de controle remoto, e menina pede coisas da Barbie. Mas teve uma menina no Hospital que me pediu uma boneca de pano.

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Fotos: Luís Felgueira

Edição: Carlos Wilson 
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke