HCB inovador

05/02/2018

Um grupo de consultores da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) esteve no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), na manhã de quinta-feira (01/02/18), para conhecer o Hospital com uma solução inovadora do SUS. Acompanhados pelo secretário-adjunto de Assistência à Saúde da Secretaria da Saúde do Distrito Federal (SES/DF), Daniel Seabra, os visitantes percorreram diversos setores do Hospital e se informaram sobre a história e a forma de gestão do HCB.

Apesar de conhecer a proposta do Hospital, essa foi a primeira vez que o coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços da Opas, o italiano, Renato Tasca, esteve no HCB. Veja abaixo a entrevista com ele:

Qual foi a motivação para a visita de hoje?
Nós estamos interessados em hospitais, em observar e conhecer soluções inovadoras – dentro do SUS. Estamos atrás de experiências que possam ensinar alguma coisa, conhecimentos que podem valorizar, dar visibilidade e construir/passar para outras instituições que tenham interesse. Divulgar todas as boas práticas para que elas sejam conhecidas e que, a partir desses conhecimentos, todo mundo ganhe alguma coisa.
Então o que vocês viram de mais interessante no HCB?
Para nós, é muito significativo um hospital desse tipo, que atende 100% SUS, totalmente regulado pela rede pública e totalmente integrado na rede pública.  Há um monte de soluções de recursos humanos e da ação na rede que são muito inovadoras. Fora todo o tema de humanização, que aqui é muito forte, muito presente, e que é um problema que, no SUS, precisa ser fortalecido. Há também o interesse na gestão compartilhada, onde existe a sociedade civil, as instituições públicas e um corpo de profissionais motivados, ou seja, aqui há uma série de motivações de diferentes setores da sociedade que se juntam para chegar a um resultado possitivo como esse.
É importante então ter toda a sociedade envolvida?
A importância é que quanto mais gente está envolvida, mais se entende que saúde é um direito das pessoas. Uma experiência como essa mostra que toda pessoa tem direito e que esse direito se concretiza através desse tipo de ação. Não é só dizer, falar, ou defender um sistema público... não. Todo mundo deve participar na construção do sistema público de saúde

Texto e foto: Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke