O HCB e a marca presente de José Alencar

23/11/2015

Quando José Alencar morreu, em 2011, devido à um câncer na região abdominal, o Brasil perdeu um dos ícones na luta contra o câncer. Durante 13 anos, o vice-presidente do país entre 2003 e 2011 enfrentou, além da enfermidade, diversas cirurgias para retiradas de tumores que foram acompanhadas por muita gente em todo o país.

No entanto, o que poucos sabem é que nos seus últimos anos de vida, José Alencar teve um papel importante em parceria com a Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace). Junto com sua mulher, dona Mariza Gomes da Silva, Alencar promoveu eventos com o intuito de arrecadar fundos para a construção de um hospital infantil público no DF. "Eles foram fundamentais para mobilizar a sociedade de Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro para o projeto. Sem eles, nada disso seria possível.", afirma a presidente da Abrace, Ilda Peliz.

Infelizmente, Alencar não viveu o suficiente para ver o seu sonho virar realidade. Ele faleceu em março de 2011, oito meses antes de o hospital infantil ser inaugurado.

Devido ao seu espírito guerreiro na batalha contra o câncer e à ajuda que ele ofereceu à Abrace para a criação do hospital pediátrico, Alencar foi homenageado dando nome à instituição. No dia 23 de novembro de 2011 nascia, oficialmente, o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB).

"Saber que o HCB levaria o nome de José Alencar foi muito gratificante." Diz dona Mariza (foto acima em 06/2011). "Ao longo da doença, ele sempre repetia que gostaria de que cada brasileiro tivesse o mesmo tratamento que ele podia ter. O crescimento do Hospital me dá uma alegria enorme, especialmente porque faço parte de tantas pessoas que lutaram para que isso se tornasse realidade." complementa.

Quem chega ao HCB encontra, próximo à porta da recepção do Hospital, um busto do vice-presidente. A escultura foi colocada ali no dia da assinatura do contrato de gestão do Hospital, em junho de 2011. Na ocasião, uma missa em memória a Alencar foi realizada no local. A frase escrita na estátua é de autoria do político e reforça a forte determinação que lhe era característica: “O homem honrado não morre nunca”.

João Estevão Sales, oito anos, reparou o busto na primeira vez que veio ao HCB. Ele diz que achou “interessante”. O menino completa falando que “estátuas sempre são legais”. Já de acordo com Thiago Oliveira, 12 anos, a escultura de José Alencar “é muito bonita. Eu nunca vi muitas estátuas, mas dessa eu gostei”.

Alguns usuários do HCB não sabiam da homenagem a José Alencar. Jurandir Ferreira, avô de Mauro David Ferreira, cinco anos, veio ao hospital pela primeira vez nesse mês e conta que isso é novidade. “Eu não sabia que ele estava no nome do Hospital. A gente costuma falar somente ‘Hospital da Criança de Brasília’ e isso acaba generalizando”, relata Jurandir.

Erlon Reges, pai de Vinícius Reges, sete anos, também “conhecia o hospital apenas como sendo da Criança”. Ele acredita que foi uma bela atitude do HCB lembrar do vice-presidente da República. “Ele foi uma pessoa importante para o país, é bom reconhecer pessoas assim”, pontua.

Para os usuários do HCB, José Alencar (foto) é um grande exemplo para as pessoas diagnosticadas com câncer e que, diariamente, têm que enfrentar a enfermidade. Segundo Lucines Ribeiro, mãe de Jociely da Silva, três anos, “o espírito que ele (José Alencar) teve pode servir de incentivo aos pais dessas crianças. Eles têm que ficar juntos nessa luta, independentemente da doença”.

 

Texto: Augusto Almeida
Fotos: Augusto Almeida, arquivo

Edição: Carlos Wilson 
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke