O doutor da dor

21/01/2019

Crianças e adolescentes atendidos no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) passaram a receber acompanhamento especial para reduzir o desconforto causado por doenças ou mesmo por tratamentos. Eles agora são acompanhados por um especialista em dor.

Segundo o médico Marcos André Frasson, responsável pelo serviço no Hospital, o atendimento contribui com todos os outros. “A dor é o sintoma mais comum de todas as doenças e é provável que o paciente tenha uma experiência dolorosa em alguma parte do tratamento. A gente atua no controle da dor e acaba ajudando em outros sintomas; nosso objetivo é tentar melhorar a qualidade de vida desse paciente”, afirma Frasson.”.

Ao ser encaminhada para o médico, a criança recebe acompanhamento para tratar a duração e a intensidade da dor. “Em geral, o que se trata são dores de difícil controle – como uma dor crônica pós-operatória que não responde às medicações –, que os médicos têm algum problema ou dificuldade em manejar”, diz o médico.

Francisca da Silva, mãe de uma adolescente atendida no HCB, já percebe os resultados: “Ela sentia muitas dores, chegou a um nível em que não conseguia dormir. Hoje, ela já consegue, o que é ótimo”, conta ela.

Ana Cristina Rocha fala que a qualidade de vida do seu filho de cinco anos melhorou: “Quando eu ia a hospitais que não tinham a especialidade, a dor não era resolvida. Agora, o Eduardo toma um remédio de uso contínuo e não sentiu mais dor”.

Frasson acredita que o auxílio a um paciente pediátrico depende muito dos acompanhantes. “Você precisa criar um vínculo com a criança e com os responsáveis por ela também. Muitas vezes, eu não entendo o que a criança está dizendo e o responsável me diz ‘aquele remédio funcionou muito bem’. Isso contribui com o tratamento”, explica ele.