Mel e Lis recebem alta do HCB e voltam para casa

04/06/2019

As irmãs Lis e Mel Vieira, um ano, receberam alta do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) na manhã de segunda-feira (03/06/19). Antes que elas deixassem o Hospital, representantes da equipe médica do HCB e do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), bem como a secretária-adjunta de Atenção à Saúde do DF, Renata Rainha, e o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, se reuniram para dar informações sobre o estado de saúde das meninas e os próximos passos do tratamento.

O coordenador de neurocirurgia pediátrica do HCB Benício Oton, relembrou detalhes da cirurgia e da recuperação das meninas: “No início, a Lis melhorou, tirou o cateter antes do planejado; depois, inverteu-se a situação – uma ficou melhor que a outra e saiu antes da UTI”. Oton afirmou, porém, que embora as irmãs continuem a ser acompanhadas pelas equipes do HCB e do HRAN, o tratamento entra, agora, em uma fase mais tranquila. “A alegria final foi na quinta-feira passada, quando as duas estavam rindo na enfermaria. Agora, os problemas mais sérios passaram”, disse o neurocirurgião.

Segundo os pais, Camilla Vieira e Rodrigo Aragão, as gêmeas continuam bastante unidas e demonstram boa recuperação. “Eu esperava um desenvolvimento bem devagarzinho, mas elas todo dia me surpreendem. Já estão dando passinhos com apoio, tentam engatinhar”, contou Camilla.

As irmãs foram separadas aos 10 meses de idade, em cirurgia que teve duração total de 20 horas e contou com mais de 50 profissionais. Este foi o primeiro caso de separação de craniópagos no Distrito Federal e o terceiro no Brasil.

Depois da separação, Mel e Lis foram para a UTI – onde a equipe já estava previamente preparada para recebê-las. “A gente sabia, pela complexidade do caso, do risco de infecções, sangramentos, complicações que poderiam advir da cirurgia. No entanto, as intercorrências foram mínimas e contornáveis”, afirmou Selma Kawahara, médica responsável pela UTI.

Para o anestesiologista Luciano Fares, a relação entre os profissionais envolvidos na cirurgia e os da UTI foi fundamental para o sucesso na separação de Lis e Mel. “Foi o trabalho de equipe que fez dar certo. Todo mundo trabalhou com empenho – cada um no seu papel, mas todo mundo muito direitinho; foi uma passagem de bastão”, disse Fares.

As gêmeas nasceram no Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB) e chegaram ao HCB aos dois meses de idade, para acompanhamento multidisciplinar; para cirurgia, cirurgiões plásticos do HRAN passaram a integrar a equipe. O superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, destacou que este foi um trabalho articulado entre as diferentes unidades de saúde e que reforça o “clima de colaboração que a gente tem no Hospital da Criança de Brasília”.

A subsecretária de Atenção à Saúde do DF, Renata Rainha, também ressaltou a importância da cirurgia para a rede pública de saúde do Distrito Federal, e afirmou que a separação das crianças “só foi possível por ser um trabalho de rede, com muita dedicação de todos os profissionais”.

O cuidado que as gêmeas receberão depois da alta também envolverá o trabalho em rede. Além de voltarem ao HCB para fisioterapia e consultas, elas seguirão com o atendimento da equipe do HRAN, que acompanha a cicatrização. “Acredito que a evolução vai ser muito boa e, se precisar de algum retoque, nós faremos”, disse o cirurgião plástico Adilson Silva. Em conversa com jornalistas, ele afirmou que o processo de cicatrização deve levar cerca de seis meses e explicou: “Vamos dando retoques na medida do possível, mas o melhor é uma atitude conservadora. Deixa elas se desenvolverem um pouquinho mais, deixa elas brincarem”.

A alta veio pouco mais de um mês depois da cirurgia e dois dias após o primeiro aniversário das meninas: no sábado (02/06/19), Mel e Lis ganharam uma pequena comemoração, realizada no Espaço da Família do HCB. Vestidas a caráter para a celebração com tema de festa junina, elas receberam o carinho da família e de parte da equipe que as acompanhou.

 

Veja sessão da Câmara Lesgislativa do Distrito Federal em homenagem aos profissionais que participaram da cirurgia de Mel e Lis.

 

 

Texto e fotos: Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke