Hospital da Criança de Brasília amplia esforço de cirurgias pediátricas

06/03/2019

Depois de realizar 573 cirurgias em fevereiro, superando a meta de 508 procedimentos – 65 a mais que o previsto, o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) vai realizar mais 339 cirurgias em março. O Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe), organização responsável pela gestão do HCB, vai dedicar 720 horas de profissionais de saúde apenas para esse esforço extra.

As novas cirurgias incluirão os pacientes que não estavam em condições clínicas quando foram chamados pela primeira vez em fevereiro. A equipe de profissionais de cirurgia pediátrica do HCB ainda vai avaliar as crianças que estão na fila do Sistema de Regulação (Sisreg) da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), a fim de identificar pacientes aptos a passarem pelo procedimento cirúrgico. Há ainda aquelas crianças e adolescentes cujos contatos não foram atualizados; uma lista desses últimos foi repassada para o Conselho Tutelar, para que sejam localizados.

Para o esforço, são priorizadas as cirurgias que demandam menor tempo cirúrgico, como de hérnia inguinal e umbilical, fimose, hemangiomas e polidactilia não articulada, entre outras.

No entanto, serão realizadas também cirurgias de maior complexidade como, por exemplo, neurocirurgias; gastrostomias; cirurgias torácicas; oncológicas; além de 20 cirurgias reconstrutoras de hipospadia (má formação na uretra) – procedimento que deve durar entre quatro e seis horas.

Em fevereiro, o Hospital realizou cirurgias de segunda a sábado, durante todo o mês. A proposta é fazer o mesmo em março. Segundo o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, o Hospital “ultrapassou a meta, mas o mais importante é ter a satisfação de saber que conseguimos beneficiar essa quantidade de crianças. Por isso estamos estendendo o esforço em março”.

As crianças e adolescentes operadas em fevereiro também foram encaminhadas ao HCB pelo Sisreg; a equipe do Hospital avaliou os casos e definiu a ordem em que as cirurgias seriam realizadas, além de tomar medidas que garantissem tanto a segurança dos pacientes quanto o melhor aproveitamento das salas cirúrgicas e das equipes.

Foi estruturada equipe dedicada à conferência dos documentos necessários para a admissão das crianças; equipes exclusivas de montagem e limpeza também foram organizadas, agilizando o preparo das salas cirúrgicas.

Mais de 100 funcionários participaram da mobilização, que envolveu desde médicos e equipes de enfermagem até os responsáveis por agendamento, esterilização de materiais, recepção dos pacientes. Walter Lopez, pai de Walter Ramos, sete anos, se surpreendeu com o ambiente que encontrou no HCB. “Olha como está meu filho: ele sabe que vai para uma sala de cirurgia, mas está brincando, numa boa! Os funcionários trazem as crianças para a sala e isso é maravilhoso, elas não ficam com medo. Isso que estão fazendo é sensacional e se vê que é um trabalho conjunto de todo mundo”, disse.

Esta não é a primeira vez que o HCB realiza mobilizações deste tipo: desde 2014, o Hospital participa de iniciativa nacional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Pediátrica para diminuir a demanda por cirurgias pediátricas. O esforço realizado em fevereiro foi um marco, porém, para o novo centro cirúrgico – as salas que fazem parte da ampliação do HCB foram utilizadas na mobilização. “Esse é o sentido da existência do Hospital: atender as crianças. Esse foi um grande começo para o novo centro cirúrgico e é um ganho que vai permanecer”, afirmou Renilson Rehem.