Heróis motorizados

16/10/2016

Na manhã de sexta-feira (14/10), o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) foi ponto de encontro de heróis: Super Homem, Batman, Mulher Maravilha e vários outros chegaram ao HCB em suas motos, que estacionaram em frente ao Hospital. Em pouco tempo, as crianças correram para ver seus personagens preferidos. A visita foi uma ação do clube Motoherói – cada membro do grupo vestiu o traje de um personagem.

João Pedro Muradas (foto acima), seis anos, se surpreendeu ao ver todos os heróis em motos – ele achava que só o Batman sabia pilotar. “Sei que ele pilota uma moto preta. Hoje, parece que o Hospital é a Liga da Justiça, de tanto herói”, disse o menino.

Ulisses Ramos (foto acima), quatro anos, é fã do Homem Aranha, mas também gosta de outros heróis. Como seu favorito não veio, ele correu para pedir uma foto ao Super Homem. Já Ana Clara Ribeiro (foto abaixo), 10 anos, contou que gosta de todos: “Todos eles lutam!”.

Além de conversar com as crianças, o clube de motociclistas preparou uma surpresa: um dos integrantes do grupo é profissional em acrobacias na motocicleta e fez uma apresentação para crianças, pais e funcionários do HCB.

Maria Eduarda Fonseca (foto abaixo), 10 anos, gostou do show. Fã do Flash e da Supergirl, ela tem vontade de ser uma super-heroína e pilotar uma motocicleta. “Eu gosto de moto; minha mãe pilota, mas meu pai acha perigoso”, explicou.

Sarah Cristina Gomes (foto abaixo), 12 anos, não assistiu à apresentação, mas se empolgou ao ser visitada por seu herói preferido. “Minha mãe gosta da Mulher Maravilha, mas para mim, o Batman é o melhor! Nada derrota ele”, disse a menina.

Criado há três anos, o Motoherói conta com mais de 90 motociclistas, que se reúnem para realizar ações de interação com crianças em comunidades carentes. O HCB foi o primeiro hospital a receber o grupo, que conheceu a instituição porque um dos integrantes é voluntário. Para Tábata Lobo, uma das participantes do grupo, a experiência de ser reconhecida pelas crianças como um herói é indescritível. Ver os olhinhos brilhando, aquela emoção de encontrar um herói, é gratificante”.

 

Texto e fotos: Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke