HCB é aprovado pelos usuários

11/06/2014

Segundo pesquisa realizada pelo instituto Soma Opinião e Mercado, mais de 99% dos usuários do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) se declaram satisfeitos com o serviço prestado pelo HCB. Os participantes da pesquisa avaliaram o HCB duas vezes: no início e ao final dos questionamentos. No começo da pesquisa, 97,8% consideravam o hospital ótimo ou bom; ao final, esse percentual subiu para 99,4%.

Os questionários foram aplicados entre os dias 19 e 23 de maio, junto aos responsáveis pelas crianças atendidas no hospital, totalizando 361 pessoas. A margem de erro da pesquisa é de cinco pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto Soma Opinião e Mercado realiza pesquisas desde 1989 e já atendeu, entre outros clientes, o Governo do Distrito Federal (GDF), o Ministério da Saúde e a Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF).

Pontos positivos e negativos

De acordo com os usuários que responderam a pesquisa, os principais pontos positivos do HCB são os profissionais médicos, o atendimento em geral e a limpeza do hospital. Quando questionados sobre pontos negativos do HCB, 51,5% dos responsáveis por pacientes afirmaram que esses pontos não existem. Alguns participantes da pesquisa, porém, apontaram desvantagens no HCB, como a dificuldade com transporte e a localização do hospital (19,7%) e a demora no atendimento (16,3%).

Na opinião de Nadjane Silva, que acompanha o filho em consultas com nutricionista e fisioterapeuta, a demora é compensada pela qualidade do HCB. “Dá para esperar tranquilamente, porque aqui é muito bom”, garante. Os itens mais importantes em um hospital infantil, conforme percebido pela pesquisa, são o atendimento e a qualidade dos médicos.

Perfil

Verificou-se que o entorno do Distrito Federal representa 27,1% dos entrevistados. No DF, a pesquisa apurou que a cidade que mais procura os serviços do hospital é Ceilândia, seguida por Samambaia e Gama. 48,8% dos participantes cursaram o Ensino Médio e 34,9%, o Ensino Fundamental.

Maria Zeli Xavier é uma das moradoras do entorno que busca atendimento para o neto no HCB. Sempre que ele tem consulta com o endocrinologista, ela sai cedo de casa. “Moro longe, em Planaltina de Goiás, tenho que chegar bem cedo; quanto maior a agilidade no atendimento, melhor”, explica.

Para o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, “esses resultados são um reconhecimento do trabalho desenvolvido por todos os profissionais do hospital. Eles confirmam as pesquisas internas que fazemos. O desafio, agora, é manter a qualidade e agilizar o atendimento, fazer jus às expectativas dos usuários e buscar sempre a excelência”.

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Fotos: Juceli Cavalcante

Edição: Carlos Wilson 
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke