Evento técnico-científico: equipamentos de reabilitação

15/09/2015

O Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) realizou sua primeira Exposição de Reabilitação Multidisciplinar na segunda (31/08/15) e terça-feira (01/09/15). Durante o evento, pacientes, responsáveis e profissionais ligados à área tiveram acesso a empresas que atuam no desenvolvimento de novas tecnologias voltadas à pediatria. Pais puderam se informar sobre equipamentos que possibilitem o cuidado integral à criança, inclusive em ambiente doméstico.

Ana Fernanda Soares, mãe de Luiza Soares, afirma que o evento ajuda a ter mais contato com produtos que ajudem no tratamento de sua filha – e que, normalmente, são difíceis de se encontrar. “Eu estava ansiosa para vir, a exposição está trazendo novidades. A gente tem muita dificuldade de encontrar algumas coisas. Se você precisa de uma cadeirinha, você não vê; você só vê pela internet, só vê fotos, mas não acha. Aqui é bom porque você vê, experimenta”, diz Ana Fernanda.

Para Juliana Galindo, diretora comercial da FisioVital (uma das empresas que participaram da exposição), essa aproximação é benéfica, principalmente, para os pacientes. “Quanto mais a gente dá acessibilidade, assistência e informação para os pais, mais eles têm a possibilidade de oferecer um bem-estar para a criança”, explica.

Durante os dois dias do evento, os usuários do HCB também puderam participar de palestras e apresentações de produtos, no auditório do hospital. Nesses momentos, os pais “se mostraram bastante interessados, sempre tirando dúvidas, para tentar entender o que eles podem fazer para ajudar no desenvolvimento dos filhos, e em formas de contribuir para uma melhor vida dessas crianças no futuro”, conta Juliana.

Enquanto os pais e responsáveis aproveitaram a exposição para se informar sobre equipamentos terapêuticos voltados à vida em casa, o evento atraiu as crianças de outra forma. O musicoterapeuta do HCB, Cláudio Vinícius Fialho, o cantor Alan Cruz e o baterista André Togni organizaram um momento musical com instrumentos reciclados: latas e galões viraram tambores para os pacientes.

João Arthur Lopes, cinco anos, se empolgou com a brincadeira e já tem sonhos ousados para o que vai ser quando crescer: “Quero ser o Homem de Ferro, aí eu posso bater na minha armadura e fazer música para todo mundo!”. Para André Togni, o envolvimento das crianças “é a magia da arte, o poder da música”. O artista acredita que “as crianças sempre estão abertas, fáceis de ser conduzidas, porque elas se envolvem emocionalmente de uma forma tão poderosa, porque elas se permitem. Depois que a gente cresce, o ser humano cria um certo bloqueio”.

A Exposição de Reabilitação Multidisciplinar foi encerrada com um momento artístico: a bailarina Lara Castelo Branco, do Instituto de Dança Castelo Branco, apresentou uma coreografia de dança do ventre, levando as crianças a um clima de descontração e mostrando-as um novo ritmo

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke