"A gente precisa saber se comunicar com os pacientes"

09/06/2016

O Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) realizou, na quinta e sexta-feira (02 e 03/06/16), seu II Encontro de Comunicação e Saúde. Voltado a profissionais da rede pública de saúde, o evento reuniu especialistas de Brasília, São Paulo e Pernambuco para debater temas comuns às duas áreas.

Na abertura do evento, o secretário de saúde do DF, Humberto Lucena (foto acima), destacou a importância da comunicação na área assistencial. “Muitas vezes, nós, da saúde, sentimos falta desse conhecimento mais organizado que o profissional de comunicação tem. A gente precisa saber se comunicar com os pacientes, entre nós, com a imprensa; todos precisam saber fazer comunicação com eficiência”, disse o secretário.

Para o chefe da assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde do DF (SES/DF), Rudolfo Lago (foto acima), a presença de profissionais de saúde no Encontro ajuda a melhorar a relação deles com os meios de comunicação. “Acho importantíssimo que eles compreendam como funciona a imprensa e que o jornalista não é alguém que está ali para denegrir a imagem da saúde; na verdade, ele é um representante da sociedade”, afirmou Lago.

Rudolfo Lago participou, na quinta-feira, de mesa redonda sobre a cobertura da saúde pública pela imprensa. A coordenadora de comunicação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS), Márcia Turcato (foto acima), participou da mesma mesa. Ela falou sobre a abordagem da imprensa no caso da zika e a forma como o Ministério se preocupou em passar sempre a informação mais correta, mesmo com a cobrança dos repórteres por agilidade. “Não se pode dar uma resposta rápida a um jornalista; você tem que pensar sobre aquela demanda e investigar um pouco a resposta”, explicou. Segundo ela, esse cuidado ajuda a passar à imprensa – portanto, à população – uma informação mais qualificada.

Ainda no primeiro dia, a jornalista da TV Globo Giuliana Morrone (foto acima) participou de uma entrevista com o tema “Há jornalismo que agrade a todos?”. A conversa possibilitou, aos participantes do Encontro, fazer perguntas diretamente à convidada, de modo a sanar dúvidas no relacionamento entre as assessorias e a imprensa.

A coordenadora de comunicação corporativa do Hospital Sírio-Libanês, Adriana Seman (foto acima), e o diretor da empresa de comunicação WN&P (responsável pela assessoria do Sírio), Itacir Figueiredo (foto abaixo), falaram sobre as experiências do hospital paulista com a divulgação de notas, boletins e atendimento à imprensa por meio de porta-vozes.

Os dois apreciaram participar do Encontro de Comunicação, pois acreditam que o evento é uma forma de crescimento para os hospitais. “A troca de experiências favorece isso. A gente nunca está 100% completo, sempre precisa entender o processo do outro. Eu vejo como uma troca positiva”, disse Adriana Seman.

A comunicação no meio digital foi tema de uma mesa redonda, com a participação do blogueiro Donny Silva (foto acima) e da subchefe de interação social da Comunicação Institucional e Interação Social do GDF, Adriana Caitano (foto abaixo). Silva falou sobre a relação que o jornalista, em blogs, estabelece com os leitores: “O jornalismo bem feito muda a vida das pessoas. Você defende, você briga e as pessoas, hoje, buscam isso; a gente acabou se tornando muito próximo da comunidade”.

Já Caitano lembrou que não é necessário ser um repórter para divulgar informações online. “Não é errado você dar opinião, o princípio do blog era esse. A notícia, antes, não era tão usada via blog. Hoje em dia, qualquer um de vocês pode ter um blog, com informação privilegiada; as coisas se misturam”, afirmou a jornalista.

O primeiro dia do Encontro de Comunicação foi encerrado com uma palestra de Geraldo Lucchese (foto acima), consultor legislativo da Câmara dos Deputados, sobre a publicidade de medicamentos. O palestrante alertou para o risco de hipermedicação e a necessidade de adotar hábitos mais saudáveis: “A indústria cria uma imagem de que uma pílula vai devolver a saúde que você perdeu por vários fatores. Isso se incorporou de maneira tão natural no nosso dia a dia, que isso parece fazer parte da vida: comer, tomar um analgésico”.

O II Encontro de Comunicação e Saúde do HCB teve continuidade na sexta-feira (03/06/16) abordando, entre outros temas, inovações tecnológicas na saúde e a comunicação com pacientes. Leia mais.

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Fotos: Augusto Almeida e Luís Felgueira

Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke