Comunicação com transparência

21/06/2017

Profissionais de saúde e de comunicação ligados à rede pública de saúde do DF se reuniram na quinta-feira (08/06/17), no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), para o III Encontro de Comunicação e Saúde do HCB.

O superintendente executivo adjunto do HCB, Gilson Andrade, abriu o evento lembrando que saúde e imprensa frequentemente encontram dificuldades para atuar em conjunto: “Às vezes surgem dúvidas e nosso trabalho é contribuir para que esses ruídos, essas distorções, sejam corrigidas”.

O secretário de comunicação do DF, Paulo Fona, destacou que saúde e comunicação são mundos diferentes. Ele defendeu a necessidade de diálogo entre as áreas, por causa das “dificuldades da saúde em entender como funciona a mídia e a dificuldade que o outro lado tem na hora de entender e abordar temas relacionados à saúde”.

No início do evento, o jornalista Rui Nogueira, sócio-diretor da Patri, afirmou que o Brasil passou por várias mudanças e que o HCB é prova das mudanças na saúde pública. “À revelia de todos os problemas, ele funciona bem. Critica-se muito, mas quem usa o sistema de saúde e precisa dele acaba elogiando.”, disse Nogueira.

A transparência nos processos de comunicação foi bastante debatida. Segundo a jornalista Graça Ramos, “todo paciente, enquanto cidadão está em busca de transparência – seja no tratamento, seja em onde o dinheiro público está sendo aplicado”.

O controlador-geral do DF, Henrique Ziller citou a forma como o HCB tem sido apresentado: “Fizemos, ano passado, uma auditoria aqui no Hospital. Os resultados são belíssimos, mostram a qualidade dos serviços desenvolvidos aqui, mas houve uma repercussão mais alta de uma campanha contra o Hospital”.

A colunista do Correio Braziliense Jane Godoy e a chefe de reportagem do SBT Wemily Batista participaram de uma mesa sobre a presença de notícias boas na imprensa. Batista explicou que “é importante saber os problemas que acontecem, mas também é importante valorizar as coisas que dão certo, que são boas”. Essa é a linha adotada por Godoy em sua coluna diária. “Peguei o mote de uma música do Gilberto Gil: ‘louvando o que bem merece, deixo o que é ruim de lado’”, explicou a colunista, que acompanhou toda a história do HCB.

O evento foi encerrado com uma palestra e uma oficina ligando a comunicação à segurança do paciente – as duas atividades foram capitaneadas pela enfermeira Luciane Torrano. Com dinâmicas, a convidada explicitou a importância da comunicação entre a própria equipe de saúde para que o paciente seja melhor atendido.

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Fotos: Juceli Cavalcante
Edição: Carlos Wilson
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke