Ampliação do HCB é reiniciada

10/09/2015

Para oficializar a construção do segundo bloco do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), autoridades do Governo do Distrito Federal (GDF) e representantes de entidades envolvidas na construção se reuniram, na manhã de quarta-feira (09/09/15), para o lançamento de uma cápsula do tempo. A ser aberta daqui a 50 anos, a cápsula guarda documentos sobre a história do HCB e cartas com as expectativas dos funcionários para o futuro do hospital.

O governador Rodrigo Rollemberg, a primeira dama, Márcia Rollemberg, e o secretário de saúde do DF, Fábio Gondim, compareceram à cerimônia. Também estiveram presentes o presidente do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe), Newton Alarcão; a presidente da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), Ilda Peliz; a presidente da Organização Mundial da Família (WFO, na sigla em inglês), Deise Kusztra; as deputadas distritais Liliane Roriz (PRTB), Luzia de Paula (PEN) e Sandra Faraj (SD); o administrador do Plano Piloto, Igor Tokarski; e o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem.

Durante o evento, o governador Rodrigo Rollemberg voltou a afirmar que “O Hospital da Criança de Brasília é a maior demonstração de que, quando a sociedade se une – as diversas entidades da sociedade, as pessoas físicas da sociedade –, com o apoio do governo, é possível realizar obras de extremo interesse e importância para a cidade”. Com a retomada das obras para ampliação do hospital, ele completou: “O bloco II será mais uma demonstração da capacidade de união da população de Brasília e da capacidade de realização da nossa população”.

Como a expectativa é que a cápsula do tempo fique enterrada durante 50 anos, o secretário Fábio Gondim reconheceu que provavelmente não estará presente quando ela for reaberta. “Mas a minha esperança é saber que uma criança que está sendo tratada nesse hospital vai estar viva, curada e vai estar com a sua família, com seus filhos – quem sabe até com seus netos –, abrindo essa cápsula do tempo e testemunhando o que está sendo feito aqui hoje”, disse o secretário.

Segundo o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, a cerimônia para a retomada das obras é “mais um passo extremamente importante”. Já para a presidente da Abrace, Ilda Peliz, “a inauguração do bloco II será realmente a realização do grande sonho da Abrace de garantir o tratamento de qualidade, no momento certo, adequado para o tratamento de doenças complexas como câncer para crianças e adolescentes”.

Como a cápsula, enterrada ao lado do terreno onde o segundo bloco do hospital está sendo construído, deve servir de testemunho para as próximas gerações, funcionários e usuários do hospital foram estimulados a expressar suas expectativas para o futuro do HCB. Gleidson Morais, funcionário da coordenação de infraestrutura, conta que o hospital já mudou bastante desde a inauguração: “Hoje, a gente vê muito avanço; daqui a 50 anos, acho que o hospital vai estar completo e ajudando muita gente que precisa”. Já Marconi Soares, da farmácia, tem sonhos mais ousados: “Espero que a gente já tenha descoberto a cura do câncer e que aqui seja um museu para relembrar os bons momentos e os bons pesquisadores que a gente teve na área da oncologia”.

Durante a cerimônia, o menino Kauã Rodrigues,10 anos, (primeira foto acima) foi chamado para ler uma carta que escreveu para ser guardada na cápsula. Kauã é irmão de uma paciente do HCB e geralmente vem ao hospital com ela e os pais quando é dia de consulta. Sua carta, escrita como se os 50 anos já tivessem passado, foi registrada no verso de um desenho que já prevê o segundo bloco inaugurado. “Eu queria ver como é que ia ficar o bloco. Eu pensei ‘poxa vida, deve ser legal’, aí eu desenhei. Vai ser bem mais bonito. Eu gosto muito de brincar no pula-pula, lá na brinquedoteca... fiquei sabendo que vão ter mais oito brinquedotecas no bloco II. E eu queria agradecer, porque se não fosse o hospital, a minha irmã não estaria bem, aí eu ficaria triste”, explica Kauã.

 

Texto: Maria Clara Oliveira
Fotos: Juceli Cavalcante

Edição: Carlos Wilson 
Coordenação de Comunicação: Ana Luiza Wenke